Oliver Stone critica medidas contra assédio e covid-19 em sets: 'Ridículo'

Publicado em 14/07/20 10:00

Oliver Stone não está ansioso para retornar a um set de filmagens em Hollywood. O diretor de "Wall Street" e "The Doors" disse, em entrevista a New York Times Magazine, que não conseguiria se adaptar às exigências e medidas de segurança da produção cinematográfica de hoje em dia.

"Tudo se tornou muito frágil, muito sensível. Na Hollywood de hoje, você não consegue fazer um filme sem um especialista em coronavírus, sem um conselheiro de sensibilidade [contra situações de assédio sexual]. É ridículo", acusou.

"É um mundo politicamente correto agora, e eu acho que não tenho vontade de retornar a ele. Eu nunca vi o showbusiness tão doido assim. É como uma festa do chá em 'Alice no País das Maravilhas'", comparou ainda.

Embora já existissem antes, os conselheiros de sensibilidade se tornaram mais comuns em Hollywood após o movimento #MeToo, que denunciou casos de assédio e abuso sexual no ambiente de trabalho em várias indústrias — incluindo a do cinema.

Enquanto isso, os especialistas em coronavírus são uma das exigências de um novo protocolo de segurança para filmagens, idealizado por sindicatos e companhias de produção de Hollywood, enquanto o mundo tenta conter a pandemia de covid-19.

Fonte: UOL Cinemas // UOL